20/01/20

Guia online de empresas

Jane Veniza Laux da Silva: amor e cuidado pelos animais

Médica-veterinária caiense se diz plenamente realizada em sua profissão

10/07/2013
Médica-veterinária Jane Veniza Laux da Silva, em seu consultório, com suas "filhinhas" Kate e Nicolle (Foto: Arquivo pessoal)

Médica-veterinária Jane Veniza Laux da Silva, em seu consultório, com suas "filhinhas" Kate e Nicolle (Foto: Arquivo pessoal)

Nascida em São Sebastião do Caí, Jane Veniza Laux da Silva, filha de Dary Laux e Vera Diesel Laux, foi uma criança apaixonada por animais. Assim, escolheu seguir a Medicina-Veterinária, em que se formou em 10 de dezembro de 1978, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Casada com Itovar Silvio da Silva, a médica-veterinária tem seu consultório na Rua Garibaldi, 373, na Vila Rica, em São Sebastião do Caí, fones (51) 3635-1860 e 9972.2147. O Portal Vale do Caí entrevistou essa profissional,  que, com seu trabalho, procura contribuir com o bem-estar dos animais.

 

 

Portal Vale do Caí: O que a fez optar pelo curso de Veterinária?

 

Médica-veterinária Jane Veniza Laux da Silva: Escolhi a Medicina Veterinária por adorar animais. Sempre tivemos animais em casa, mas, para mim nunca, era suficiente. Se pudesse, se meus pais tivessem permitido, teria recolhido todos. Então, quando chegou a hora de escolher a profissão, resolvi seguir essa carreira, para contribuir com o bem-estar dos nossos grandes amigos.

 

 

Portal Vale do Caí: Você se sente realizada na profissão?

 

Jane: Plenamente realizada.

 

 

Portal Vale do Caí: Qual o maior aprendizado que tem no contato com os animais e seus donos?

 

Jane: De como eles são importantes em várias situações: de stress, de depressão, de união entre os familiares, de preencher espaços nos corações em ocasiões de perdas. Existe uma troca muito grande entre eles e seus donos. Troca de carinho e de afeto, sem muitas exigências da parte deles.

 

 

Portal Vale do Caí: Entre comprar e adotar, o que você recomenda?

 

Jane: Recomendo a adoção. Hoje, existem muitas casas de passagem, onde é possível adotar um animal pequeno ou grande, macho ou fêmea, peludo ou não, conforme a disponibilidade de espaço e do gosto do futuro dono. Mas, também é válida a compra, principalmente quando se tem um sonho, uma preferência muito grande em um cão de uma determinada raça.

 

 

Portal Vale do Caí: O que é preciso levar em conta antes de adquirir/adotar um animal de estimação?

 

Jane: Pensar que o animalzinho não é só diversão. Existem algumas exigências para o bem-estar de ambos. Tem que haver um planejamento. Um cão de grande porte exige um espaço proporcional, pois ele terá necessidade de exercitar-se. Saber que, para mantê-lo saudável, ele deve ser bem tratado, limpo, alimentado adequadamente conforme a fase da vida (filhote ou adulto).

 

 

Portal Vale do Caí: Quais cuidados básicos é preciso ter com o animal?

 

Jane: Fazer a prevenção de doenças infecciosas, imunizando os filhotes com vacinas de boa qualidade. A época correta e o tipo de vacina devem ser orientados por um profissional médico-veterinário, assim como o momento de desverminar (parasitas internos) e o vermífugo adequado e também a prevenção contra os parasitas externos (pulgas, carrapatos e fungos). Outro cuidado importante é com a alimentação, sendo a ração o alimento mais indicado. Não dar restos de comida, pois algumas podem ser perigosas para a saúde dos cães. O que é bom na alimentação de humanos não é necessariamente bom para os cães. Deve ser evitado dar chocolates, biscoitos (grandes concentrações de gordura e poucos nutrientes), derivados de leite (podem causar diarreia, pois muitos têm intolerância à lactose) e ossos de carne e de frango (podem partir em pontas que poderão perfurar a garganta e os intestinos e, também, podem quebrar dentes).

 

 

Portal Vale do Caí: Conforme a estação do ano (outono, inverno, primavera e verão), são necessários cuidados específicos? O que recomenda para o inverno, recém-iniciado?

 

Jane: No inverno, manter os animais num ambiente seco e abrigado. No calor, proporcionar sombra e sempre água fresca.

 

 

Portal Vale do Caí: Como proceder para que tanto animal como o ser humano não comprometam a saúde um do outro (transmissão de doenças como a toxoplasmose, estresse, etc.)?

 

Jane: Quanto à toxoplasmose, adotando medidas preventivas, não só relacionadas com os gatos, porque evitar a exposição a eles não impede a exposição a outras fontes de contaminação, como o hábito de comer carne crua e frutas e verduras mal lavadas. Então, os conselhos são: não ingerir carne crua ou parcialmente cozida; lavar bem as mãos e utensílios de cozinha após a manipulação de carne crua; nas atividades de jardinagem, usar luvas para evitar o contato direto com a terra; lavar frutas e verduras antes de consumi-las; trocar diariamente as caixas de areia dos gatos; e outras medidas de higiene.

 

 

Portal Vale do Caí: Doenças que acometem pessoas (epilepsia, asma, bronquite, etc.) também podem afetar animais? Como proceder nesses casos?

 

Jane: Existem doenças com potencial de atingir tanto os homens, quanto os animais. Essas doenças são classificadas como zoonoses. Podemos citar as mais conhecidas: tuberculose, tétano, leptospirose e brucelose, que são doenças bacterianas. Seria muito difícil citar todas, mas o importante é sempre tomar as medidas preventivas, de acordo com a causa e as características de cada doença. Adotar medidas de higiene consigo e com os animais, evitando doenças fúngicas e parasitárias, infecções causadas por ácaros (sarna), pulgas e carrapatos. Temos, também, doenças virais, como, por exemplo, a raiva.

 

 

Portal Vale do Caí: Abandono e maus-tratos de animais é crime, conforme o Artigo 32 da Lei Federal nº. 9.605/98. O que dizer da situação de tantos animais maltratados e abandonados? Ao adotar/comprar um animal, as pessoas têm consciência da sua responsabilidade com ele?

 

Jane: É uma realidade que causa muita tristeza para as pessoas que querem o bem-estar dos mesmos. Falta conscientização de que eles são seres vivos, com sensações de dor, fome, sede e que dependem de humanos para minimizar esses problemas. Se não gosta de animais, pelo menos não os maltrate. Se não tem condições de espaço e tempo disponível para alguns afagos e brincadeiras, é melhor que não os tenha. E um procedimento muito importante é a castração. Pode ser feita logo após a terceira vacina, ajudando a evitar que muitos deles parem em abrigos e depois sejam eutanasiados. Ter a responsabilidade de saber que eles não são descartáveis quando desejamos viajar, tirar férias.

 

 

Edição: Mery Regina Griebler

Fotos: Arquivo pessoal

 

Comentários

Mais entrevistas

© Vale do Caí 2013 - Todos os direitos reservados.

Gerenciamento:

Desenvolvimento: