18/01/20

Guia online de empresas

Vira Lata do Caí: trabalho voluntário pelo bem dos animais

Comunidade pode colaborar com as atividades da organização não governamental

17/02/2014
Paola Marina Mello da Rosa: presidente da ONG Vira Lata do Caí (Foto: Divulgação)

Paola Marina Mello da Rosa: presidente da ONG Vira Lata do Caí (Foto: Divulgação)

A Associação Protetora dos Animais Vira Lata do Caí (APROCAÍ) é uma organização não governamental (ONG) surgida em São Sebastião do Caí, com o objetivo de combater injustiças cometidas contra os animais. A idealizadora é Paola Marina Mello da Rosa, que, em seguida, recebeu o apoio de Andrea Scheren Santos. Logo, um grupo de voluntários estava envolvido nos trabalhos na APROCAÍ. Atualmente, além do grupo envolvido diretamente com as atividades da ONG, pessoas e empresas, além do poder público, são parceiras da entidade, envolvidas com a causa de melhorar a situação dos animais. Interessados em ajudar tem diversas maneiras de colaborar.

 

 

A DIRETORIA:

Presidente: Paola Marina Mello da Rosa

Vice-presidente: Andrea Scheren Santos

Primeira secretária: Iviara Rodrigues Sivert

Segunda secretária: Raquel Ohashi

Primeira tesoureira: Daiane Flores

Segunda tesoureira: Andréa Fernanda da Silva

Conselheiros fiscais: Fernando Mentz, Cassiane Mentz, Davi Osval Wagner, Jairo da Silva Dorneles  e Rafael Rost

 

 

PARA MAIS INFORMAÇÕES E CONTATOS:

Endereço na internet (site): www.viralatadocai.org.br

Facebook: Vira Lata do Caí

E-mail: administracao@viralatadocai.org.br

Fone: (51) 9858.6933

 

 

Acompanhe, abaixo, a entrevista feita pelo Portal Vale do Caí com a presidente, Paola Mello.

 

 

Portal Vale do Caí: Como e com qual objetivo foi criada a organização não governamental APROCAÍ (Associação Protetora dos Animais Vira Lata do Caí)?

 

Presidente Paola Marina Mello da Rosa: Um grupo de amigas, cansadas com descaso, abandono e maus tratos dos animais, resolveram se unir para ajudar a diminuir essa situação, focando principalmente na esterilização dos animais.

 

 

Portal Vale do Caí: Qual a missão, visão e valores da APROCAÍ?

 

Paola: Missão: Salvar, proteger, amar e lutar para que os animais tenham o devido respeito merecido!

Visão: Garantir o bem estar dos animais, sobretudo a qualidade de vida, mesmo que esta seja breve!

Valores: Comprometimento, respeito, responsabilidade, seriedade, ética, dedicação, amor pelo que faz.

 

Portal Vale do Caí: Como é o funcionamento dessa organização não governamental (ONG)?

 

Paola: Não possuímos sede devido ao custo (luz, água, telefone, funcionário e etc...) e todos os voluntários trabalham e não são remuneradas. A ONG vive de doações e, como não possuímos sede e nem canil, não fazemos resgates de animais. Se houver um animal abandonado, pedimos à comunidade que nos ajude a alimentar e tirar fotos para divulgação. Se o animal estiver doente ou muito machucado, levamos para tratamento e internação ou cirurgia, se for necessário, e esses procedimentos custam caro. Nosso foco é a castração das fêmeas, para evitar essa proliferação descontrolada da população animal, para que depois não fique nas ruas rolando ou sofrendo maus tratos. Como a APROCAÍ vive de doações, as pessoas que forem carentes e que realmente não tiverem condições, a ONG custeia essa castração. Para demais pessoas que adotam ou da ONG ou da rua ou de alguém, conseguimos a baixo custo, no mesmo valor que pagamos.

 

 

Portal Vale do Caí: Quais as ações desenvolvidas?

 

Paola: Nossas ações são primeiramente as castrações. Também realizamos feiras de adoção, para podermos dar lares felizes e saudáveis para os animais de rua. Depois desenvolvemos eventos para arrecadação de dinheiro (pedágios, brechós, vendas de adesivos e camisetas) e também temos campanhas para doação de ração.

 

 

Portal Vale do Caí: Qual a capacidade simultânea para atendimento (quantos animais consegue atender de vez)?

 

Paola: Não temos um número fixo, vamos ajudando conforme temos dinheiro em caixa. E quando temos casos graves, procuramos ajudar e depois corremos atrás de ajuda financeira para pagar. Autorizamos, em média, 20 castrações por mês, além de atendimentos de animais doentes abandonados.

 

 

Portal Vale do Caí: Como a associação se mantém financeiramente?

 

Paola: A associação vive de diversos tipos de doações (carnês mensais, cofrinhos para arrecadação de moedas, pontos de coleta de ração, depósitos em conta corrente, castrações, medicações, roupas, acessórios, etc). Hoje o município também ajuda com uma pequena doação mensal, mas que ainda é insuficiente frente à grande demanda. Por isso, é necessária essa captação de doações, para a ONG suprir as necessidades dos animais da cidade.

 

 

Portal Vale do Caí: Como os interessados podem colaborar?

 

Paola: Os interessados podem colaborar fazendo uma casa provisória de passagem para um animal abandonado, apadrinhando um animal de rua, doando uma castração, ajudando nas tarefas dos voluntários ou se tornando um voluntário e fazendo doações por meio das diversas opções que temos. As doações podem ser feitas por meio de carnês mensais, cujos valores variam de R$ 10,00, R$ 15,00 e R$ 20,00 (ou outro valor) e que são recolhidos pelos voluntários; por meio dos cofrinhos, para arrecadar moedas, colocados em estabelecimentos comerciais da cidade; por meio de pontos de coleta de rações, nas agropecuárias Paineira, na pet Toka dos Bichos e nos supermercados Ledur e Flach; por meio de depósitos no Banrisul, agência 0891, conta corrente 0611472706, CNPJ 19.224.673/0001-53. Também podem ser feitas outras doações (medicações, roupas, acessórios, etc...) no endereço da rua 1º de Maio, 617, no Centro e, para doações maiores, os voluntários, a pedido, fazem o recolhimento no local indicado pelo doador.

 

 

Portal Vale do Caí: Em caso de abandono ou maus tratos de animais, as pessoas podem contatar com a associação?

 

Paola: Primeiramente não recolhemos os animais abandonados, pois a cidade não tem canil e nem temos sede. A ONG prestará todas as informações necessárias de como proceder nesses casos. Como não temos poder de polícia, pedimos que a pessoa tenha alguma prova (foto, vídeo) e que seja testemunha ou que tenha alguma testemunha e se dirija até a delegacia, para fazer a ocorrência. Em caso de animais abandonados, a ONG poderá acompanhar as diligências, juntamente com a autoridade policial.

 

 

Portal Vale do Caí: Que mensagem quer deixar para as pessoas a respeito dos animais?

 

Paola: A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter, e quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem. JUNTOS PODEMOS MAIS!

 

 

Edição: Mery Regina Griebler

Fotos: Divulgação e Andréia Araújo

Comentários

Mais entrevistas

© Vale do Caí 2013 - Todos os direitos reservados.

Gerenciamento:

Desenvolvimento: